Os pernambucanos foram convocados no último domingo (7) a irem as urnas para escolherem as/os suas e seus candidatas/os nas no primeiro turno das Eleições 2018. Neste turno, além de votarmos em uma/um das/os candidatas/os para presidente, também escolhemos as/os próximas/os deputadas/os estaduais e federais, senadoras/es e governadoras/es.

Fizemos uma análise de como o pleito eleitoral foi noticiado nos três principais jornais de Pernambuco: Jornal do Commercio, Diario de Pernambuco e Folha de Pernambuco.

O Diario de Pernambuco em suas doze páginas voltadas ao especial de eleições 2018, focou em noticiar o âmbito local. O seu editorial, com título “A força da democracia”, enfatiza o valor de vivermos em um estado democrático de direito e clama às/aos eleitoras/es que usem a razão e não o coração para escolher seu candidato à presidência no segundo turno, que acontecerá no dia 28 de outubro. Além disso, houve publicações sobre a vitória no primeiro turno do governador reeleito pela coligação da Frente Popular, Paulo Câmara (PSB), reportagens com as/os outras/os candidatas/os ao governo e gráficos com as/os candidatas/os eleitas/os a deputadas/os estaduais e federais eleitos.

Em contrapartida, o Jornal do Commercio buscou dá enfoque a disputa nacional entre os candidatos que foram para o segundo turno, os presidenciáveis do Partido dos Trabalhadores, Fernando Haddad, e do Partido Social Liberal, Jair Bolsonaro. Houve um grande destaque também para a reeleição de Paulo Câmara ao governo do Estado, e do êxito das candidaturas de Gleide Ângelo – eleita deputada estadual, com maior numero de votos da história de Pernambuco, e de João Campos, o Federal mais votado no estado.

A Folha de Pernambuco dedicou 15 páginas para as eleições 2018 na edição dessa segunda-feira (8). O jornal priorizou a cobertura regional e fez um balanço sobre as candidaturas eleitas no estado. Reservou as duas primeiras páginas para falar sobre a reeleição do governador Paulo Câmara, da Frente Popular; sobre o segundo lugar dessa disputa, o senador Armando Monteiro, da coligação Pernambuco Vai Mudar; e prestigiou o terceiro lugar de Dani Portela, da Chapa Feminista PSOL-PCB. Também destacou a eleição do Deputado mais votado desta eleição, o filho do ex-governador Eduardo Campos, João Campos. E do numero histórico de votos para a candidata eleita a deputada estadual, Gleide Ângelo, ambos pelo PSB.

Em seguida, tratou das eleições presidenciais e considerou o segundo turno como “Nível máximo de polarização”, desde a redemocratização, se referindo a Fernando Haddad e Jair Bolsonaro. Na análise falou sobre o establishment político e, por fim, fez um balanço de como foi o domingo de eleições no país todo.

A mídia pernambucana se limitou a fazer um balaço e o registro dos resultados do primeiro turno no estado e no Brasil. Essa reprodução de dados e das notícias nacionais são importantes, mas pouco acrescentam ao leitor acerca do contexto político. O momento político é crítico e uma analise da composição dos legislativos e dos governos estaduais podem influenciar o segundo turno e as agendas governamentais a partir do próximo ano, caberia a imprensa contribuir com essas reflexões.

Colaboração: Rebecka Santos
Edição: Rosa Sampaio

O OmbudsPE é um projeto de comunicação do Centro de Cultura Luiz Freire. É livre a reprodução para fins não comerciais, desde que a fonte seja citada e esta nota seja incluída.

Realização:

Apoio:

Busca