reuniao1Quem quiser contribuir para a reformulação da TV Pernambuco já tem um canal para dialogar com o novo diretor-presidente Roger de Renor e com o grupo de trabalho recém montado para encaminhar a reformulação da emissora. Propostas e sugestões serão recebidas pelo email tvpernambucoseminario@gmail.com. Reuniões abertas também serão agendadas no processo que culminará com um grande seminário para represenações de todo o estado.

Esses foram alguns encaminhamentos dados para a primeira reunião entre o GT e a sociedade civil. Em princípio, a idéia era reunir as organizações que vinham participando das discussões sobre comunicação em Pernambuco nos últimos anos. Mas a presença de mais de 80 pessoas deixou bem claro que tem muito mais gente interessada em formatar um modelo de emissora realmente pública. Além de representantes de organizações da sociedade civil, estiveram presentes no escritório da TV Pernambuco produtores, músicos, sindicalistas, jornalistas, estudantes e funcionários de carreira do Detelpe.

“Tínhamos chegar perto dos grupos que apoiaram e assinaram o manifesto em prol de mudanças no sistema público de comunicação, mas a quantidade de gente que veio só nos deixa mais confiantes de que todo esse processo vai se dar de uma forma abrangente e participativa”, comemorou Roger.

Rosa Sampaio, do Auçuba, trouxe para a discussão a importância de uma gestão realmente diversa e democrática na TV “O modelo tem que garantir a participação de todos os sociedade civil”.

Ivan Moraes Filho, (Fopecom/MNDH/CCLF), Eduardo Homem (TV Viva), Guido Bianchi (Sindicato dos Publicitários) , todos membros do grupo de trabalho, esclareceram dúvidas e entregaram aos participantes uma carta de intenções com as principais metas a serem trabalhadas num espaço de três meses. Período em que a comissão pretende fazer um diagnóstico das condições de operação da TV.

Questões como problemas de transmissão e sustentabilidade da emissora foram bastante discutidas já nesse primeiro momento. “É preciso recursos para trabalhar com qualidade, especialmente para que a emissora possa ter um bom sinal tanto no interior quanto na capital. Mas estamos passando por uma transição e sabemos que  muita coisa pode implicar em nova legislação. É preciso ousadia nas propostas e paciência para colher os resultados”, afirmou Eduardo.

Ivan procurou estimular a participação através da internet. “Temos um prazo muito curto para apresentar propostas, então é importante todo mundo se organizar para contribuir. É importante sabermos o que pode ser feito a curto e a longo prazo”, de acordo com o jornalista e apresentador, o momento agora não é de mexer na programação,  mas sim de formular novas propostas a serem encaminhadas ao governo. “Mais importante do que saber o que fica e o que não fica, é estabelecermos critérios transparentes sobre como será feita essa programação”.

A foto que ilustra este texto é de Elayne Bione

O OmbudsPE é um projeto de comunicação do Centro de Cultura Luiz Freire. É livre a reprodução para fins não comerciais, desde que a fonte seja citada e esta nota seja incluída.

Realização:

Apoio: