O modelo de TV digital adotado pelo Brasil irá contemplar às demandas de uma sociedade que busca democratização dos meios de comunicação? O que muda no telejornalismo e o que permanece frente às novas tecnologias ? No intuito de discutir o cenário político da definição do modelo de televisão digital brasileiro e as possibilidades de interatividade para o jornalismo televisivo, será realizado, na próxima segunda-feira, 30, o seminário TV Digital: Desafios e Perspectivas. O evento, aberto a estudantes e profissionais de comunicação em geral, além de demais interessados na área, é promovido pelo Grupo de Pesquisa Mídia e Cultura Contemporânea da Universidade Católica de Pernambuco (Unicap) e acontece na universidade (bloco A, sala 510) , com mesas de discussão à tarde e à noite.

Modelo brasileiro

Das 15h às 18h, toma lugar a mesa : A política da TV Digital no Brasil: atores, interesses e decisão governamental. As discussões serão capitaneadas pelo mestre em ciência política, professor de jornalismo da Unicap e integrante do Núcleo de Teoria da Democracia da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Juliano Domingues, e pelo jornalista de Centro de Cultura Luiz Freire, apresentador do programa Pé Na Rua, co-editor do site Ombudspe, o blogueiro Ivan Moraes Filho, também integrante do Fórum Pernambucano de Comunicação (Fopecom).

A mediação será realizada pelo coordenador do curso de jornalismo da Universidade, o doutor em Estudos Cinematográficos e Audiovisuais pela Universidade Paris 3 , Alexandre Figueirôa.

Segundo os organizadores, a mesa trará à tona a discussão sobre o processo de definição das diretrizes da política de digitalização da TV aberta brasileira, a partir do pressuposto de que escolhas governamentais. Serão apresentados e discutidos os decretos reguladores da TV digital no País (nº 4.901/2003 e nº 5.820/2006), seus antecedentes históricos e momentos subseqüentes. Na ocasião, Domingues irá apresentar estudo sobre as regras referentes à TV digital adotadas pelo governo e discutirá a quais preferências elas atendem.

Novo  cenário

À noite, das 19h às 22h, o tema em debate será Televisão digital e Telejornalismo: transformações e desafios. Participa do debate a doutoranda em Comunicação pela UFPE e mestre em Comunicação e Culturas Midiáticas pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB) Lívia Cirne, colaboradora do Laboratório de Aplicações de Video Digital/UFPB, o Lavid. Lívia também desenvolveu pesquisa sobre interatividade no telejornalismo com testes na TV Cabo Braço, afiliada da rede Globo na Paraíba.

Compõe também a mesa, a doutora em Comunicação e Semiótica pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC SP), Yvana Fechine.  A professora do programa de pós-graduação da UFPE é integrante do Centro de Pesquisas Sociossemióticas da PUC e desenvolve junto à instituição, estudos sobre as linguagens do vídeo e da televisão. Entre outros títulos, Fechine publicou Televisão e Presença: Uma Abordagem Semiótica da Transmissão Direta.

O jornalista, documentarista e professor de televisão, cinema e vídeo da Unicap, Cláudio Bezerra , também doutor em Cinema Documentário pelo Programa de Pós-graduação em Multimeios, da Universidade Estadual de Campinas ( Unicamp) completa a mesa, fazendo a mediação dos debates.

A segunda rodada de discussões visa lançar luz sobre as novas funções atribuídas aos telespectadores, com a chegada da TV digital. Mediante a possibilidade de interagir diretamente com a programação, os produtos jornalísticos audiovisuais apostariam em novas estratégias de participação, introduzindo no seu formato uma série de novas aplicações: chat, enquete ou quiz, por exemplo.

Segundo a organização do seminário, referenciado por esse novo cenário, pretende-se, além de traçar perspectivas para o gênero na TV digital, discutir como os telejornais estão se apropriando das ferramentas tecnológicas .

Os participantes terão acesso à noções gerais sobre a TV digital, evidenciando os padrões e potencialidades. Também serão mostradas algumas experiências realizadas na Europa e os testes com a TV Cabo Branco. Por fim, vão ser comentadas as tendências de reestruturação das emissoras, para engajar novos profissionais, novos setores e novas habilidades. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone: 2119-4045.

O OmbudsPE é um projeto de comunicação do Centro de Cultura Luiz Freire. É livre a reprodução para fins não comerciais, desde que a fonte seja citada e esta nota seja incluída.

Realização:

Apoio: