Monitoramento social da mídia,
promoção do direito à comunicação
& acesso à informação

O OmbudsPE já tem uma longa estrada, e nós continuamos a acreditar no diálogo entre os movimentos sociais e a mídia. Virtualmente, além das análises da mídia impressa pernambucana ou nacional (quando houver repercussão no Estado), temos espaços para a produção de textos referentes à mídia regional, divulgar vídeos e áudios sobre o direito à comunicação e visibilizar a agenda do movimento de comunicação, principalmente das atividades do Fórum Pernambucano de Comunicação (Fopecom).

Esses espaços estão abertos e só possuem sentido por contar com a colaboração de militantes dos movimentos sociais e populares, acadêmicos, jornalistas e os/as demais interessados/as. Ou seja: sua colaboração permanece sendo muito bem-vinda! Este é o exercício do monitoramento social do direito à comunicação. Este não é um espaço onde há verdades absolutas nem uma disputa do “bem contra o mal”. É um fórum democrático de discussão aberta que visa a melhorar o tratamento dado aos direitos humanos pelos nossos veículos de comunicação.

EXPEDIENTE

Redação
Mariana Reis

Fernanda Machado (Estagiária de Jornalismo)

Igor Goulart (Estagiário de Designer)

 

Análises

Record produz reportagem criminalizando MST e Encontro dos Sem Terrinhas

Na edição deste domingo (10) do programa Domingo Espetacular, da TV Record, levou ao ar a reportagem “A polêmica dos sem terrinha”. Na matéria, a emissora aborda o 1º Encontro Nacional Sem Terrinha, que o Movimento dos Trabalhadores Sem Terra realizou em 2018, em Brasília. O evento tinha como objetivo discutir temas relacionados aos direitos das crianças, ao Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), a produção de alimentos saudáveis, a luta por escolas do campo e a Reforma Agrária Popular.

ler mais

O SBT rememora a ditadura militar em propaganda e chama atenção para um problema de negligenciamento da história do país

No dia que a promulgação Constituição Federal completa 30 anos, datada em 6 de novembro, o SBT, do empresário Silvio Santos, lançou uma campanha publicitária com uma série de vinhetas que invocam a propaganda política da Ditadura Militar de 1964 a 1985. O slogan utilizado, “Brasil, ame-o ou deixe-o”, surgiu durante o governo de Emílio Garrastazu Médici, entre 1969 e 1974, período conhecido como “Anos de Chumbo”, em que os governantes tinham o poder de punir arbitrariamente os que fossem opositores do regime ou considerados inimigo. Além da frase, “Eu te amo, Meu Brasil”, da dupla Dom e Ravel, era executada na tela com imagens do país.

ler mais

O OmbudsPE é um projeto de comunicação do Centro de Cultura Luiz Freire. É livre a reprodução para fins não comerciais, desde que a fonte seja citada e esta nota seja incluída.

Realização:

Apoio:

Busca