Representantes das empresas de comunicação e do Sindicato dos Jornalistas de Pernambuco reuniram-se na tarde de ontem para discutir a campanha salarial. Em ‘estado de greve’, os profissionais ouviram a proposta dos patrões e fizeram uma contraproposta que deverá ser respondida formalmente até as 17h desta quinta-feira (10/11). A posição do empresariado será decisiva para que, nesta sexta-feira (11/11), os jornalistas decidam se realmente cruzarão os braços ou se fecham a negociação. A assembleia foi convocada para as 11h30, na sede do SindGraf-PE.

O patronato ofereceu um reajuste de 8,5%, proposta que não foi aceita pelo Sinjope. O sindicalistas fizeram uma nova proposta, pedindo 10% – aumento semelhante ao que receberam os gráficos, também esta semana. Mas o principal impasse é a chamada “cláusula do diploma”, que obriga as empresas a contratarem apenas profissionais que tiverem completado o curso de comunicação social com habilitação em jornalismo nas universidades. Enquanto os empresários querem retirar a cláusula do acordo coletivo, os profissionais insistem em sua manutenção.

Uma alternativa encontrada pelos empresários para ‘driblar’ a cláusula foi a assinatura de um termo formal, por parte de diretores e redação, comprometendo-se a  não contratar profissionais sem diploma até março do próximo ano. Bom lembrar que existe atualmente uma Proposta de Emenda Constitucional (PEC) tramitando no Senado que pretende restituir a obrigatoriedade do diploma para o exercício do jornalismo – desde 2009, esta exibilidade foi anulada pelo Supremo Tribunal Federal.

O OmbudsPE é um projeto de comunicação do Centro de Cultura Luiz Freire. É livre a reprodução para fins não comerciais, desde que a fonte seja citada e esta nota seja incluída.

Realização:

Apoio: