A repercussão da demissão do jornalista Inaldo Sampaio, colunista de política do Jornal do Commercio, está grande nos blogues (ainda bem!) e nas conversas entre jornalistas. O Ombuds PE quer dar ênfase nessa notícia reforçando e dizendo: “tá vendo? A gente sempre disse que a mídia tem dono! Ela funciona como empresa e quando algum empregado, qualquer um deles, não segue a linha, como em qualquer empresa, é hora de sair.

Esse fato é mais um que demonstra, comprova, explícita e acaba com o mito da imparcialidade do jornalismo e mostra que ele ( o jornalismo) sempre tem um lado (a linha editorial). Neste momento, vale lembrar dois fatos. Um antigo: a demissão de Belmar e, um bem atual, a cobertura da imprensa em relação ao MST, na qual, vários jornalistas se transformam em editorialistas.

O desafio é como dizer isso à população. É preciso massificar essas informações. E esse é o problema que enfrentam essas notícias. O debate fica restrito e a população, no máximo, saberá que o jornalista saiu, mas o motivo, poucos terão acesso. 

Nessas horas, se tivéssemos oportunidade de conversar com os ‘donos da mídia’ diríamos: as empresas de comunicação deveriam explicitar que possui um lado. Seria justo com os/as leitores e não há problema nenhum nisso. Infelizmente, ainda escutamos pessoas que afirmem que não há censura na imprensa pernambucana.

No Brasil, ainda não há uma legislação, nem conselhos, nem conferências que, pelo menos, recomende ou fiscalize a pluralidade nas informações nesses veículos que  trabalham com um bem público, uma das bases do direito à comunicação. Mas, se houver pressão da população sobre isso, quem sabe.  A Conferência de Comunicação, depois de dois anos de luta, vai sair neste ano.

O OmbudsPE é um projeto de comunicação do Centro de Cultura Luiz Freire. É livre a reprodução para fins não comerciais, desde que a fonte seja citada e esta nota seja incluída.

Realização:

Apoio: