As curvas e ruas estreitas confundem aqueles que desconhecem o bairro do Alto José Bonifácio. Do Alto, o Recife de prédios e largas avenidas parece silenciar e transforma-se na cidade de casas que, de tão coladas umas nas outras, aparentam estar suspensas. Na Associação dos Moradores do bairro, às segundas e quartas, pela tarde, jovens estudantes que residem ali se reúnem para discutir comunicação.

Os estudantes fazem parte do projeto Jovens Comunicadores, um curso que busca ensinar aos jovens as diferentes linguagens do jornalismo e procura discutir criticamente o que é veiculado pela mídia local. O projeto é uma iniciativa de Fábio Rodrigues — coordenador da biblioteca popular do Alto José Bonifácio Amigos da Leitura —, e do jornalista Darton Charles,  responsável por facilitar os encontros.

O curso é dividido em módulos de acordo com cada suporte jornalístico. Inicialmente, os alunos aprendem os conceitos básicos de fotografia. Em seguida, Darton facilita oficinas para impresso, rádio e vídeo, além de mídias digitais.

Fábio (à esquerda) e Darton (ao centro) explicam a atividade aos alunos.

Darton procura não ser cansativo e compartilhar o que sabe de forma lúdica e atraente. Se preocupa, sobretudo, com a produção textual dos alunos. “Percebo que alguns deles ainda têm dificuldades com redação”, explica. O jornalista quer desafiar esta questão durante as oficinas e auxiliar os alunos no processo de escrita.

Fábio conta que o projeto é fruto de uma inquietação antiga. Ele percebia que os moradores do Alto José Bonifácio não recebiam informações sobre a dinâmica do próprio bairro, sua cultura, seus problemas, os evento promovidos, por exemplo. “O objetivo do curso é mobilizar os estudantes para conhecerem a comunidade, o que há na comunidade, e, assim, produzirem notícias sobre ela”, diz Fábio.

Fábio e Darton priorizaram a participação de alunos das escolas públicas do bairro. Foram até as escolas, explicaram a motivação e o objetivo do curso e convidaram os alunos do Ensino Médio para participarem. Houve um período de inscrição, e a turma foi formada. Cerca de 15 alunos fazem parte do projeto.

As estudantes Mayara e Magda, impulsionadas ao curso pelo módulo de Fotografia.

Magda Santana, de 15 anos, estudante do 2º ano do Ensino Médio da Escola Caio Pereira, diz que o módulo de fotografia lhe motivou a participar do curso. “Fotografia era meu foco. Espero exercitar seus fundamentos”, afirma a estudante. Mayara Aline, 16, que está na 8ª série também no Caio Pereira, também foi impulsionada pela fotografia, mas diz que, com o curso, espera amadurecer: “Quero aprender. Me soltar. Me entrosar. Com certeza, vou me sair bem”, assegura.

O curso não terá fim, explica Fábio, e sim continuidade. Ao final dos módulos facilitados por Darton, a dupla espera formar equipes para atuar na comunidade com a produção de conteúdos audiovisuais e de textos para suportes virtuais, como blogs, e na confecção de um jornal comunitário. “Queremos saber em que mídia os jovens gostariam de trabalhar. A partir das afinidades, formaremos as equipes”, explica Fábio.

O ponto de apoio para toda esta produção será a biblioteca Amigos da Leitura, que, em novembro, inaugura sua nova sede. Por enquanto, todo o acervo da biblioteca, que existe há três anos, está na varanda da casa de Fábio. O novo espaço – que já foi sede de um clube de futebol local e de uma gafieira – está localizado perto da Praça Alto José Bonifácio, atrás do centro recreativo, área central do bairro.

Formar agentes comunicadores para atuarem no bairro. Fábio e Darton estão otimistas com a proposta e esperam que os alunos se envolvam com as questões da comunidade. Principalmente para, a partir disso, pautar o Alto José Bonifácio de forma positiva, discutindo seus problemas, mas também divulgando os grupos culturais locais e atividades de interesse dos seus moradores.

O OmbudsPE é um projeto de comunicação do Centro de Cultura Luiz Freire. É livre a reprodução para fins não comerciais, desde que a fonte seja citada e esta nota seja incluída.

Realização:

Apoio: