Após quatro meses de campanha salarial, a classe jornalista pernambucana finalmente conseguiu estabelecer um piso salarial e reajuste de 7% para a categoria. As ações promovidas pelo Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Pernambuco (Sinjope) tiveram início em agosto. No dia 24 de outubro, uma paralisação de quatro horas chegou a ocorrer nas redações quando o Sindicato das Empresas Editoras de Jornais do Estado de Pernambuco (Sejope) alegou ser inviável o atendimento às demandas dos trabalhadores. Durante todo processo, o Sinjope contou com a parceria do Sindicato dos Gráficos nas ações promovidas contra a intransigência da classe patronal, que custou a aceitar a correção dos salários de acordo com os índices da inflação. Segundo os jornalistas, tal fato teria causado a morosidade das negociações.

Além do retorno do piso, extinto há 18 anos, e o reajuste, as empresas de comunicação assinaram um documento em que se comprometem a não realizar redução de salários nas empresas em que a remuneração inicial já é superior ao piso estabelecido, como é o caso do Diario de Pernambuco e Jornal do Commercio. Agora, os valores do piso são de R$1.500 na Recife Metropolitana do Recife e R$1.200 para os demais municípios do estado. Os valores valem tanto para jornais diários quanto para empresas de rádio e televisão.

A perspectiva é de que, futuramente, consiga-se eliminar tal diferenciação salarial entre as regiões pernambucanas. “Nosso próximo passo é aumentar esse piso. Pois, inicialmente, queríamos que ele fosse equivalente ao do Diario de Pernambuco, que é de R$ 2.283,00. Paulatinamente, espera-se que as empresas subam o piso no interior para que ambos fiquem iguais”, explica Ana Cláudia Eloi, presidenta do Sinjope. Se, para tanto, chegar-se-ia a uma greve, a sindicalista informa que as ações dependerão da resposta dada pelos empregadores à campanha salarial de 2015, quando ocorrerá nova mobilização da classe. “Todo ano tem campanha salarial. Quando não há mais margem de negociação, decidimos em assembleia que medidas iremos tomar”, afirma Eloi.

 

O OmbudsPE é um projeto de comunicação do Centro de Cultura Luiz Freire. É livre a reprodução para fins não comerciais, desde que a fonte seja citada e esta nota seja incluída.

Realização:

Apoio: