Durante a sua XVI Plenária realizada em São Paulo – cujo tema foi 20 anos, 20 pontos – o Fórum Nacional pela Democratização da Comunicação (FNDC) reafirmou a necessidade de luta por um novo marco regulatório da comunicação – em consonância com os vinte pontos aprovados na Conferência Nacional de Comunicação, de 2009 – e escolheu Rosana Bertotti (Secretária Nacional de Comunicação da CUT) para coordenação-geral do Fórum. Uma nova coordenação executiva também foi eleita, sendo ampliado o número de instituições que a constituem de seis para nove dirigentes.

As nove entidades que compõem a nova executiva são: Conselho Federal de Psicologia (CFP), Central Única de Trabalhadores (CUT), Associação Nacional das Entidades de Artistas e Técnicos em Espetáculos de Diversão (Aneate), Federação Interestadual dos Trabalhadores em Empresas de Radiodifusão e Televisão (Fitert), Associação Brasileira de Radiodifusão Comunitária (Abraço), Intervozes – Coletivo Brasil de Comunicação Social, Centro de Estudos da Mídia Alternativa Barão de Itararé e Federação Interestadual dos Trabalhadores em Telecomunicações (Fittel). Das instituições, CFP, CUT, Aneate, Fitert e Abraço já faziam parte da executiva do FNDC; Intervozes, Barão de Itararé e Fittel ingressaram na direção do Fórum após a votação (28 votos a favor da ampliação e 8 votos contra) durante a XVI Plenária.

Quem deixa a coordenação executiva e a coordenação-geral – que era ocupada por Celso Schröder –  é a Fenaj (Federação Nacional dos Jornalistas). “Tenho certeza de que o FNDC sai daqui fortalecido e bem representado”, afirmou Celso após anunciar a saída da Fenaj das instâncias do Fórum.

Ampliação e Fortalecimento

Fortalecimento foi a palavra-chave das discussões que envolveram a Plenária. Além de firmar o compromisso do Fórum de, em 2012, lutar pelo debate e implantação do novo marco regulatório para a comunicação no Brasil, o FNDC buscará, no próximo biênio 2012-2013, agregar novos associados, criando comitês regionais e reunindo diversas frentes de luta pelo direito à comunicação. Renata Mielli, secretária geral do Barão de Itararé, em fala durante o debate final, frisou que “o fortalecimento do FNDC é o desafio. Devemos aglutinar os diferentes olhares, pois 2012 será um novo ano de luta, quando teremos que sair às ruas pelo novo marco regulatório”.

Rosana Bertotti afirmou que a plenária decidiu por importantes modificações na política do FNDC. De acordo com Rosana, o aumento do número de entidades na coordenação executiva fortalece a atuação do FNDC e dá maior capilaridade às instituições que trabalham pela democratização da comunicação. Bertotti também destacou que a incidência do FNDC deve se “centralizar nas propostas do novo marco regulatório, pois tudo se articula dentro dele”, afirma a coordenadora geral.

Ademais, foi unânime, entre os representantes de entidades do Fórum, a necessidade de o FNDC se aproximar de temas caros à comunicação no Brasil, como a universalização de uma banda larga de qualidade, o marco civil da internet e o controle social da publicidade. As instituições também buscam um maior diálogo com diversos movimentos da comunicação no País, a exemplo da FrenteCom e da campanha Banda Larga é um direito seu.

Abaixo, a composição da recém-eleita coordenação executiva do FNDC:

Coordenação Geral – Ronase Bertoti (CUT)
Secretaria Geral – Roseli Goffman (CFP)
Secretaria de Administração e Finanças – Marco Antonio Ribeiro (Fitert)
Secretaria de Comunicação – Renata Mielli (Barão de Itararé)
Secretaria de Mobilização e Organização – José Luiz do Nascimento Sóter (Abraço)
Secretaria de Políticas Públicas – João Brant, do Coletivo Intervozes; Orlando Guilhon (Arpub); Edson Pedro de Lima, (Fittel); e Berenice Mendes (Aneate)

O OmbudsPE é um projeto de comunicação do Centro de Cultura Luiz Freire. É livre a reprodução para fins não comerciais, desde que a fonte seja citada e esta nota seja incluída.

Realização:

Apoio: