Após quatro rodadas de negociação, o dissídio dos jornalistas de 2014 ainda está indefinido. Chico Carlos, integrante do Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Pernambuco (SinjoPE), disse que, após a última rodada na quinta-feira, os patrões fizeram propostas que foram prontamente recusadas pelos jornalistas. “Eles querem dar apenas a inflação à gente, que é em torno de 6%, e dar uma aumento real a partir de fevereiro do próximo ano, e escalonado” explica ele

“Quem ganha até R$ 2.500,00 teria 8% de aumento real; quem ganha de R$ 2.500,00 a R$ 5 mil teria 7% e quem recebe acima de R$ 5 mil ganharia 6,5%. Nós dissemos ‘não’. A categoria é única. Nós não queremos diferenciação salarial” disse Chico Carlos. Para o sindicalista, essa medida prejudicaria cargos como editores e colunistas, que inclusive muitas vezes não ganham hora extra.

Dentro da proposta rejeitada, estava inclusa também a questão do piso salarial, questão mais importante da negociação desse ano.  O patronato sugeriu que o piso na região metropolitana e no interior tivesse valores diferentes. O SinjoPE defende que nenhum jornalista no estado receba menos que R$ 1.500,00.

O OmbudsPE é um projeto de comunicação do Centro de Cultura Luiz Freire. É livre a reprodução para fins não comerciais, desde que a fonte seja citada e esta nota seja incluída.

Realização:

Apoio: