A quem pertence o futuro?

  Henrique Viana¹ Em uma matéria do Correio Brasiliense do dia 12 de outubro de 2019, em especial de dia das crianças, estampou-se 17 crianças, todas com menos de 5 anos de idade, apontadas pelo periódico como o futuro do Brasil. Entretanto, a falta de...


Frei Caneca FM: até quando esperar?

Durante sua campanha eleitoral, o atual prefeito do Recife, Geraldo Júlio, prestou pouca atenção à maior parte das demandas dos movimentos que lutam pelo direito à comunicação na cidade. Uma delas, porém, acabou entrando no seu plano de governo e foi uma das promessas...

ler mais

“Capa da Folha de Pernambuco é desonesta”

Por: Pedro César Josephi* A Capa da Folha de Pernambuco desta quarta-feira (09/04) tem uma clara linha editoral que pretende criminalizar os movimentos sociais e jogar as justas reivindicações dos vários segmentos da sociedade contra a própria sociedade. Conheço Biu...

ler mais

Quem faz a cidade parar?

As advogadas e os advogados do Centro Popular de Direitos Humanos vêm a público mostrar sua indignação frente à matéria da Folha de Pernambuco que nesta quarta-feira, nove de abril, dedicou a capa e três páginas da sua edição à violenta criminalização dos movimentos...

ler mais

Nota do SinjoPE e da Fenaj sobre demissões no JC

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Pernambuco (Sinjope) e a Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj) vêm a público lamentar e repudiar as demissões em massa no Sistema Jornal do Commercio de Comunicação (SJCC), do Grupo JCPM, transferindo para os...

ler mais

Nota da Diretoria de Redação do Jornal do Commercio

Em razão da difícil conjuntura por que passam as empresas de comunicação do país, e ciente da necessidade de um permanente processo de modernização, a Editora Jornal do Commercio viu-se obrigada a fazer ajustes em todos os seus setores, incluindo-se aí a sua Redação....

ler mais

Análises

O SBT rememora a ditadura militar em propaganda e chama atenção para um problema de negligenciamento da história do país

O SBT rememora a ditadura militar em propaganda e chama atenção para um problema de negligenciamento da história do país

No dia que a promulgação Constituição Federal completa 30 anos, datada em 6 de novembro, o SBT, do empresário Silvio Santos, lançou uma campanha publicitária com uma série de vinhetas que invocam a propaganda política da Ditadura Militar de 1964 a 1985. O slogan utilizado, “Brasil, ame-o ou deixe-o”, surgiu durante o governo de Emílio Garrastazu Médici, entre 1969 e 1974, período conhecido como “Anos de Chumbo”, em que os governantes tinham o poder de punir arbitrariamente os que fossem opositores do regime ou considerados inimigo. Além da frase, “Eu te amo, Meu Brasil”, da dupla Dom e Ravel, era executada na tela com imagens do país.

ler mais

O OmbudsPE é um projeto de comunicação do Centro de Cultura Luiz Freire. É livre a reprodução para fins não comerciais, desde que a fonte seja citada e esta nota seja incluída.

Realização:

Apoio: