O fato entristece. Felipe Tubarão, que foi jogador de futebol da Cabense, foi morto na tarde de ontem. Dois portais de notícias veicularam o acontecido, descrevendo que Felipe havia sido perseguido por dois homens, no bairro de San Martin. Ao entrar numa casa, os dois homens teriam seguido o jogador e o assassinaram, a tiros, dentro de um banheiro.

As informações nas duas notícias não estão completas. Sabe-se apenas o que aconteceu, e não os motivos que levaram ao crime, tampouco as conseqüências dele. Entretanto, o que chama mais atenção ao observar as duas matérias é a tentativa, em ambas, de justificar o assassinato.

A do Blog do Torcedor afirma que Felipe Tubarão chegou a ser preso por envolvimento com o tráfico de drogas, o que teria levado ao seu assassinato. Em extrema oposição, o PE 360 graus diz que o jogador tinha “bons antecedentes”, fazendo a polícia suspeitar que Felipe, desafortunadamente, teria sido confundido com um bandido.

As argumentações, tanto do Blog do Torcedor como do PE 360 Graus, parecem vir de pura especulação, uma vez que as informações veiculadas nos portais de notícias são díspares. Teria havido de forma precisa uma apuração que pudesse preencher a lacuna do por  quê do assassinato? Seria o texto construído em cima de suposições?  Se, sim, o que poderia provocar no julgamento do leitor, a obtenção de informações improcedentes, já que se entende o jornalista também como um  formador de opinião?

É recorrente no jornalismo policial, por exemplo, relacionar o assassinato de alguém – quando não se sabe sua causa real – a um determinado argumento que justificaria a morte da vítima. Muitas vezes, o jornalista se vê na obrigação de detalhar o motivo do crime, o que, por vezes, o leva a utilizar argumentos tendenciosos, a exemplo do observado na nota do Blog do Torcedor, quando diz que a suposta ligação do jogador com o tráfico de drogas foi causa do homicídio.

O OmbudsPE conversou com o jornalista do Blog do Torcedor, Breno Pires. Pires garantiu que uma nova nota seria publicada, com informações de fontes oficiais, como a delegacia responsável pela investigação do crime.

Até a conclusão dessas investigações, o que encaramos como salutar é que as notícias veiculadas sobre o caso, assim como tantas outras, se baseiem,  prioritariamente, no processo de busca, mais do em acontecimentos considerados a partir de hipóteses criadas na redações.

O OmbudsPE é um projeto de comunicação do Centro de Cultura Luiz Freire. É livre a reprodução para fins não comerciais, desde que a fonte seja citada e esta nota seja incluída.

Realização:

Apoio: