Mesmo antes da consolidação da EPC, a TV Pernambuco já vem experimentando mudanças ao longo dos últimos meses. Desde agosto deste ano, a emissora incluiu novos programas em sua grade. Uma programação que busca contemplar conteúdos locais sobre música, cinema, poesia, esportes e cidadania. Entre eles, os novos Toda Música, Cine Pendrive, Tubisse, Pé na Rua e Falando em Ciência e Tecnologia. O Canto dos Violeiros, Mais Radical, Meio de Campo, Expedição Sonora e Quorum, que já eram transmitidos pela TVPE, completam a grade da emissora. Com exceção do Toda Música e Cine Pendrive, todos os outros são produzidos de forma independente, sem participação ou financiamento da emissora.

Roger de Renor, diretor-presidente da TV Pernambuco.

A equipe da TV Pernambuco é bastante enxuta, devido, principalmente, à dificuldade que a emissora tem para receber dinheiro do orçamento do governo, já que ela funciona como um departamento técnico da Secretaria de Ciência e Tecnologia do Estado (Sectec).  Formalmente, a TVPE possui apenas três cargos, o de diretor-técnico, diretor-jurídico e diretor-presidente, ocupado atualmente por Roger de Renor.

No ano passado, a direção elaborou dois projetos para a produção de programas, que seriam viabilizados por meio do orçamento da Sectec. Foi feita, assim, uma licitação para contratação de empresas que produziriam os conteúdos. Duas produtoras ganharam a licitação, porém a TV não recebeu nem a metade do dinheiro para contratar as empresas e dar início à produção. Os programas foram adiados, e a quantia que a Secretaria pôde destinar seguiu para garantir os salários de uma pequena equipe de produção, composta de duas jornalistas e três técnicos, e possibilitou a compra de um computador de edição e de materiais, como fitas, por exemplo.

A falta de uma institucionalidade para a TVPE, que virá com a criação da Empresa Pernambuco de Comunicação, impossibilita o funcionamento pleno da emissora, restringe a produção, a transmissão para todo o Estado e a diversidade de programações. Mas a atual diretoria já avança na construção de parcerias. Roger relata a afinidade da emissora pernambucana com trupos como a TAL – Televisão América Latina, Telesur – Televisión del Sur e uma rede formada entre TVs públicas, culturais e educativas do Norte e Nordeste do País. “O que tinha pra fazer de convênio, a gente fez”, diz.

O OmbudsPE é um projeto de comunicação do Centro de Cultura Luiz Freire. É livre a reprodução para fins não comerciais, desde que a fonte seja citada e esta nota seja incluída.

Realização:

Apoio: